terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Bom Ano!

Apesar de rezinga, espero que tenham todos um óptimo ano, uma excelente saída deste 2013 (que ontem um pombo cagou-me em cima) e uma entrada ainda melhor.

Bom Ano Novo!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Sabedoria do Ti'Ricardo

Relaxa. Se não, não encaixa.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Eu, o rezinga

Vou passar o fim-de-ano em Lisboa. Não tenho planos e a minha vontade de os fazer é nula. O ano passado passei-a também em Lisboa em casa de uma amiga, a fazer um trabalho e sozinho (por opção claro). Ainda fui até à varanda ver o fogo-de-artifício (depois achei que tinha perdido um dos gatos e que ia ser degolado), e assim entrei neste ano. Ainda pensei em ir até ao Terreiro do Paço para ver o fogo-de-artifício, não é tanto pelo fogo, mas mais pelo lugar. Contudo a ideia de estar imensa gente lá tira-me a vontade. Vai começar um novo ano, o que é que tem de especial? Acontece todos os anos...
E assim continuo sem planos e sem vontade de os fazer. Para além de velha estou a ficar rezingão.



terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Que eu até sou fofinho...

Minhas rabanadas, um Feliz Natal! Cheio de amor e alegria.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

É Natal

É Natal e o meu presente este ano chegou mais cedo... A velhice!
Sim, a velhice. Já a tinha sentido a assentar nos meus ossos como um pó, já a tinha visto à volta dos meus olhos. Mas agora confirma-se...
Estava eu, sexta-feira passada, lindo e maravilhoso na paragem de autocarro à espera deste último quando chega uma mãe e as suas duas pequenas crias. Os miúdos começam a brincar, como é natural, e um deles tinha um chapéu de chuva. Algures no tempo daquela brincadeira, o gaiato está com o chapéu de chuva pressionado contra a minha mala e a mãe diz: "Cuidado! Olha que aleijas o senhor."... Senhor? Senhor? Mas quando é que eu deixei de ser o 'menino'? A frase devia ter sido 'Cuidado! Olha que aleijas o menino'. O drama! O horror! Mas passou-me...
Domingo, esse dia fatídico. Mais uma vez, eu lindo e maravilhoso, pessoas que já não me vêem há algum tempo, e uma senhora diz assim que me vê: "Ai! Ele está diferente. Está mais velho não está? Perdeu o ar de miúdo..." E eu sorrio, porque é sorrir e acenar.
Toda velha! E as entradas que estão maiores? E o pneu que se está a formar? E as pernas giras que eu tinha que estou a perder por estarem a ficar magras? E a letra do blog que tive de colocar maior por já não a ler bem? Toda velha...


sábado, 14 de dezembro de 2013

É Natal

É Natal e porque é tradição oferecer presentes a quem gostamos eu venho oferecer-vos o melhor de todos: Sabedoria! Sim, porque saber não ocupa lugar, aqui têm: 100 maneiras de dizer Vagina



Agora que estou mergulhado no espírito natalício, vou-vos dar outro presente (talvez mais do vosso agrado): 100 maneiras de dizer Pénis



A mim ocorrem-me mais algumas palavras que não são ditas nos vídeos. Quem dá mais?

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

É Natal



Acho que me sinto sempre um pouco como o Grinch nesta altura do ano.
Fica toda a gente entusiasmada com paz, amor e 'pipis' ao alto porque é Natal. Enquanto eu ando com uma atitude de 'meh'...

sábado, 7 de dezembro de 2013

Rapidinha

Achei piada a ESTE ARTIGO e acho que vale a pena ser partilhado e lido por vós.
Um dia destes também vou conseguir escrever assim aqui pelo blog.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

É Natal

Animem as "pardalecas" (metafóricas claro, ou quem não as tiver metafóricas que as alegre também). Porque muitos de vós estavam esperançosos que eu sei. Vou-vos dar uma prendinha de Natal antecipada. É todo vosso:



Está de Parabéns! Ainda é preciso muita coragem para fazer isto. Daqui seguem só boas energias e muita força. Que sejas Feliz Tom!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O Fado

As vezes adoro o meu blog. Tenho saudades do ser o que era, mas não me arrependo nada de ser o que sou agora. Fico feliz por o ter sido e por este blog estar aqui para me recordar. Talvez ainda possa ser uma versão melhorada do que fui. O que eu virei a ser. Acho que o estou a voltar a ser.


É engraçado, quando ouvi este fado pela primeira vez fiz uma crítica, disse que achava a música demasiado alegre para esta letra. Não é, percebo agora o porquê de ser assim, encaixou-se perfeitamente neste meu momento.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Sabes que és gay

(E se dúvidas houvesse) Quando dizes coisas como "Oh, que parvo" a um outro rapaz, nem que seja por sms.

sábado, 23 de novembro de 2013

sábado, 16 de novembro de 2013

Conversas

Em conversa com uma amiga lésbica, mas que, volta e meia, gosta de dizer que tem um pezinho na bissexualidade (esta informação é necessária para o contexto):

(...)
Amiga - Oh, eu gosto de coisas muito específicas nos homens...
Eu - É. Que tenham pipi.
(...)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

O meu lado bixa

Posso pintar o cabelo desta cor? De vez em quando o meu lado bixa (assim em "x's" e tudo) aflora e dá-me para estas coisas. E se calhar é de aproveitar antes de ficar careca...



E o prazer que tem sido descobrir esta menina? Vem cá ao vodafone mexefest,  mas eu não vou que sou pobre.
Em outras notícias: voltei hoje à Aldeia para duas semaninhas, visto que a mamã tem amanhã novo exame em Coimbra e a operação, aquela que havia sido adiada, na próxima semana. O carro deu o badagaio há cerca de uma 1h atrás (supostamente nada de grave). Já tenho os pés gelados (faz mais frio aqui que em Lisboa) e ao que parece Coimbra está ainda mais fria.
Já dizia o outro "Isto é como tudo, não há de ser nada"...

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Dar a mão à palmatória

Por vezes tem que ser. E pronto, já percebi porquê é que costumam fazer a depilação nos tin-tins com gillette. Coisa que para mim era impensável. Mas não fiquei com nenhum testículo dependurado e a esvair-me em sangue todo degoladinho lá em baixo. É até bastante suave e recomendo também, visto que os pêlos demoram mais tempo a crescer.
Agora, tenham é atenção à escolha da gillette. Não quero os homens deste país a entrarem nas urgências com os testículos dependurados. Testem a lâmina na vossa pele primeiro e num sítio relativamente inócuo. Eu aproveitei uma promoção e comprei esta Gillette Fusion Proglide (aquela que me pareceu ser a mais avançada) que me ficou a metade do preço normal. O problema será o preço das lâminas em si (as recargas). Que quando vi custavam cerca de 21 euros (Eu sou estudante e pobre. O horror!). Mas não precisamos de estar a comprar e a mudar todas as vezes de lâmina, elas ainda dão para algumas vezes.


P.S. Não se esqueçam do creme de barbear (dah) e depois de passar um creme - um frasquinho de nívea clássico serve para quase tudo. 

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Conclusões e Implicações

Cheguei à conclusão de que não sei, verdadeiramente, o que é namorar. Nem sei o que é ser namorado de alguém.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Daqui até aos Óscars...

É um pulinho...
O blogger Um Simple Rapaz está a organizar um blog award. E eu estou nomeado para duas categorias: blog mais divertido e melhor blog masculino.
Não quero apelar ao voto (Sabe Deus que não gosto de pedir nada a ninguém), penso que isto é uma ideia óptima e que vale pelo facto de nos dar a conhecer novos blogs. Portanto, dêem um pulo no blog My life, my outpourings vejam as diferentes categorias e os nomeados. Conheçam coisas novas e votem se assim o quiserem, será uma outra forma de reconhecer o valor desses blogs.

 

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sobres mims

De vez em quando adoro uma boa foleirada.
É verdade, tanto na música (aquelas músicas mais pop. E já tiveram exemplos disto por aqui no blog), como no cinema (O Diário da Nossa Paixão. Biiichaaaaaaa), de vez em quando no outfit que me dá para vestir (papillon ou chapéu. Todo pipi) em muitas outras áreas certamente, e também nos livros.
O prazer que me deu ler este livro e largar as leituras académicas. Comprei-o esta tarde (já havia lido os livros anteriores da autora e sabia o que ia encontrar e gostar, inclusive comprei um no primeiro encontro com o rapaz que foi "o meu primeiro amor") e foi até agora às duas e trinta da manhã, com a pausa para a aula do dia em que só me apetecia voltar a lê-lo
Adoro esta escrita leve que nos leva a visualizar as imagens como se de um filme se tratasse. Neste caso particular, as descrições visuais do tempo, os cheiros, a atmosfera e tudo com um toque de magia (adoro, adoro, adoro, adorava, adorava, adorava, ter alguma espécie de poder mágico, nem que fosse o olhar astuto, profundo, que as personagens do livro possuem umas sobre as outras). Ah, e o romance, o romance aveludado que nos deixa a sonhar, o sentimento de que o que tem de ser será e de que as coisas são tão fáceis quando estamos apaixonados e somos retribuídos, de que é quase automático, que é quase certo que acabaremos com alguém só porque é a pessoa certa, só porque é o amor, só porque a vida se encarrega disso. Caraças, estou com aquela vontade de estar apaixonado e ser retribuído, mas depois penso que para isso é necessário conhecer pessoas... e Deus me livre. Lá se vai a vontade. O bom destes livros é que podemos deixar ao sopro do vento que as coisas se encaminham. (Fia-te na virgem e não corras).

A Árvore dos Segredos, de Sarah Addison Allen

sábado, 12 de outubro de 2013

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Coimbra tem mais encanto

Na hora da despedida"
Lá diz a canção e não posso deixar de pensar isto sempre que estou a deixar Coimbra. Não que não goste da Cidade, mas dadas as circunstâncias assim é. E não, não é encanto de saudade pela Cidade ao deixá-la para trás, é mesmo encanto de me estar a ir embora. A primeira vez foi há dois anos, aquando a primeira operação da minha mãe. Tinha acordado bem e estava animada no carro (até reconheceu o ginecologista dela a atravessar a passadeira - isto saída do recobro à relativamente uma hora, ainda meio "arrelampada" ao meu lado, nos lugares traseiros do carro).
Hoje lá voltámos a Coimbra para operação igual, mas, ao contrário da outra vez, não foi operada.
O médico dela não pode ver os exames que ela tinha e foi aconselhada a mostrá-los hoje à médica. Mostra os exames à enfermeira e esta diz-lhe que tem de chamar a médica de forma a esta decidir se opera ou não a minha mãe. Senti a minha mãe nervosa, apreensiva, apesar de me oferecer um meio sorriso e uma língua meia de fora. Médica chega, Ricardo atrás da mãe para o consultório de forma a poder ouvir. Enfermeira diz para esperar lá fora. Um "Okay" desanimado, médica diz que por ela não tem mal. Lá vou eu. Operação adiada por um mês e entretanto terá de realizar um exame nas consultas externas...
A ver, a ver. Apesar de tudo não é nada demais. São exames. Mas percebo que isto a desgasta. Tento acalmar dizendo que os exames são relativos a coisas diferentes e, no fundo, não querem dizer nada.
Hoje, mais uma vez, quando saíamos da cidade, atravesso o Mondego e lá me lembro da canção "Coimbra tem mais encanto na hora da despedida".
Com as visitas que prevejo se calhar tenho de procurar encanto na hora da chegada... Mas hoje nem o gaiato aprendiz de médico ou enfermeiro giro que lá andava me animou.
Não que esteja em baixo, triste ou preocupado. Mas só espero que estas coisas passem em bem.
Será que "cada um tem o que merece" apenas funciona para as más pessoas? As boas não têm direito àquilo que merecem?

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Há que gostar de nós

"- Gosto de ti, mas não te amo - Mas o amor só atrapalha - acrescentou.
Ela foi à casa de banho buscar a escova de dentes e os cremes. Tirou do armário a roupa que tinha levado para casa dele, enfiou tudo na mala que estava há três meses debaixo da cama e, muda, dirigiu-se para a porta. Ele seguiu-a, perplexo.
- Amo-te, mas não gosto de ti - respondeu ela, entregando-lhe a chave de casa."

Tânia Ganho

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Sobre mim


Sim, também eu sou um caso de "Bitchy Resting Face".

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

E agora? Lembra-me

Confesso que o filme me deixou inquieto. Inquietou-me como me inquietam as grandes histórias de amor. Como inquieta quando somos colocados face à vida. A uma vida feliz, mas que, como qualquer vida, tem sofrimento. (O truque é não desistir, parece-me.)
O Joaquim  Pinto disse na apresentação do seu filme E Agora? Lembra-me, que fui ver com o Arrakis ao Queer, que este era um filme feliz.
E é. É um filme cheio de amor e tem uma esperança nostálgica ténue, mas vibrante. O problema é que onde existe esperança algo não está bem. Há uma tristeza.
Gostaria de saber se o Joaquim teve alguma espécie de formação filosófica. Pode não ter tido, não se precisa, basta viver e viver consciente de algo como ele vive e ler (O Nuno tem as Confissões de Santo Agostinho, livro que Joaquim se recusa a ler, ou recusou), pensar sobre as coisas, ver filmes, ouvir música, passear...
Não nos lembramos da morte. Isto é, estamos vivos, sabemos que as pessoas morrem, que podemos morrer a qualquer instante, mas "agora ainda não", é este pensamento que o "autómato" nos traz. *
A lembrança da morte não nos é marca constante ou, pelo menos, não a todos. Se fossemos constantemente conscientes de que as pessoas que amamos morrem, não viveríamos, estaríamos reunidos numa sala com quem amamos a absorver aquelas essências que a qualquer momento se  podem apagar. Estar afastado de alguém que amamos e que pode morrer a qualquer instante sem que estejamos lá, essa é uma consciência atroz. Será igualmente atroz a consciência de que podemos ser nós a deixar quem amamos, que podemos não estar aqui com elas, a aproveitá-los, a amá-los.
A vida de Joaquim está marcada por essa presença constante. Ele sabe-o. Sabe que a qualquer momento pode não estar aqui, com os cães, com o Nuno. (A quem ele agradece por ter conhecido e por ter na sua vida). Ao Nuno a quem vemos agradecer sempre que este lhe dá a injecção que contem a medicação ainda em testes. É uma pequena coisa este "obrigado", mas não sei, isto transmite-me um gesto de amor, profundo. Este filme lembra-me o José e Pilar. Nota-se na forma de captar a imagem que conheceu João César Monteiro.
Não o considerei um documentário sobre as doenças que Joaquim tem e que tenta combater. Ele que dá um contributo enorme, o seu próprio corpo, a sua mente, no combate a estas doenças. Não o considero um documentário sobre as doenças porque falta mais informação sobre elas e sobre os ensaios clínicos em que está submetido. Mas é também natural que não possa dar mais informações, são ensaios experimentais. Está ali muito mais que isso. Está uma história de amor. Está a vida de Joaquim, a sua consciência do que se passa, ainda que ele não saiba conscientemente que a tem. (Não se lembra de várias coisas de que filmou, devido aos efeitos do medicamento).
Acho que é um documentário sobre uma vida que incluí uma história maravilhosa de amor.
E agora? E agora que eu tenho esta doença que me lembra constantemente da morte, que está aqui presente e me é lembrada? Não me esqueças. Amo-te. Lembra-me. Lembra-me, porque te amo. Acho que é isto que Joaquim Pinto nos transmite. Pelo menos a mim assim é.
Ah, caraças! Vejam o filme. É maravilhoso. É extenso, mas é natural que o seja. Eu pensava, como é que se acaba um filme destes? Como é que se coloca um fim a este registo. Quando, como, terminar este filme?
Embora extenso é inquietante, é maravilhoso, é feliz, é triste, é nostálgico. É uma história de amor sobre a vida.

E agora? Lembra-me.


* Eu sei que o texto peca pela sua confusão. Que falta um desenvolvimento intelectual. Mas não farei aqui um ensaio filosófico. Não quero trazer o meu lado, a minha face, intelectual para o blog. Essa é explorada noutros sítios. Quero apenas dar a conhecer o filme e recomenda-lo. 

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Irmãs!

Preciso que digam de vossa justiça. A minha máquina de aparar barba estragou-se, e com "estragou-se" eu quero dizer que a estraguei enquanto a limpava. Sabe Deus que a coordenação motora não é a minha principal característica...
E preciso da vossa ajuda, já andei a ver máquinas, a fazer pesquisas na internet e a falar com amigos, mas nada como ouvir a voz da experiência. Com "experiência" quero dizer os vossos conhecimentos práticos relativos a este tipo de máquinas.
Ora então, basicamente, tenho/quero comprar uma máquina de barbear e de aparar rosto (a minha pseudo-barba) e corpo. E com corpo eu quero dizer peito, barriga e zona púbica. E sim! Com zona púbica eu quero dizer que inclui os tin-tins. Sim, porquê para mim a ideia de passar uma lâmina/gillete pelos meus testículos é bastante semelhante à ideia de degolação...
Alguém tem experiência com este tipo de máquinas? Sabe de um boa a um preço agradável? Isto dá resultado, não dá?

Das minhas pesquisas esta parece-me ter tudo o que quero. O problema é que não a encontro em lojas à venda e não sei o preço (lembrem-se que sou pobre). 


Portanto, podiam partilhar as vossas experiências e recomendações aqui nos comentários ou enviar um e-mail.
'Gradecido!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Não há duas sem três

Ao que parece podemos juntar àquele ditado popular que diz "um mal nunca vem só" que "não há duas sem três". 
Hoje, infelizmente, tivemos de ir novamente com a minha mãe ao hospital.
Desta vez, uma crise renal provocada por uma infecção urinária. Felizmente, foi-lhe atribuída uma pulseira laranja (urgente) e a mim a cinzenta, de acompanhante. Infelizmente, apesar da rápida entrada nas urgências, passámos o dia no hospital à espera dos resultados ora das análises, ora dos vários exames.
Felizmente, já está bem melhor agora e já dorme.
E porque temos de procurar sempre o lado positivo das coisas: o médico que a atendeu era um regalo para a vista. Senhores! Alto, giro, com barba e sotaque do norte. (Gosto dessas coisas, fazer o quê?). E o melhor: genuinamente preocupado com os seus pacientes. É raro o médico naquele hospital que vi assim, tão cuidadoso.


P.S. Como é que há pessoas que têm mesmo gaydar!? O meu "funciona" para os homens que acho interessantes, não me parece que resulte...

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Eu sou uma besta

Sabe Deus que eu tenho a capacidade de dizer as melhores coisas, seja qual for o momento, para ter "face palms" instantâneos. Mas não é por mal, e neste caso então, não é mesmo. Era só para aligeirar o ambiente, já sabia, sei, que ela deve estar preocupada e assustada. E falei mais depressa que aquilo que pensei. Podia ter ficado magoada, mas não ficou. Ou então não ouviu o que eu disse porque, a meio da frase, já estava a perceber a barbaridade que lhe podia estar a dizer e o meu tom de voz foi baixando até ao sussurro.
Felizmente, a minha mãe conseguiu uma vaga no ginecologista dela (estava na lista de espera - que já passava Dezembro). Infelizmente, o nosso Serviço Nacional de Saúde é horrível e a minha mãe tem de recorrer a um médico particular. Não vou fazer aqui a comparação, mas, sendo curto e grosso, se a minha mãe não pudesse recorrer a um médico particular estava fodida com o serviço que é prestado no SNS e com o tempo de espera. 
Quando regressei a casa e ela me contou o que o médico lhe esteve a explicar, que teria de ser novamente operada como já foi há uns dois anos, chegou a parte em que me disse: 
"E pronto, segundo o médico, se, depois de eu ser operada, ele vir que isto é mau quanto pensa que é, deve dizer para eu remover o útero." 
E eu, que por acaso já havia pensado nesta possibilidade, digo logo:
"Ah, não te preocupes. Há muita gente que vive sem útero. Eu também não tenho..." 

 luz-natural:

Bas Jan Ader, Fall II, Amsterdam, 1970.

Eu juro que não foi por mal. Saiu-me. Só queria fazer uma piada e que ela não se preocupasse...

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Ardidas por fora...

...Queimadas por dentro.
Podem ler mais sobre elas aqui: http://www.vogue.xl.pt/multim%C3%A9dia/v%C3%ADdeos/8041-adidas-by-rick-owens.html



Gosto do toque futurista, que giras que são. Podem vir em preto e branco para uns pés 41. 'Gradecido!

domingo, 25 de agosto de 2013

Eu cá não sei...

Mas parece-me que há mais coisas que se fazem num ângulo de 35º graus.


Squatty Potty-Toilet Stool- Educational video from Judy Edwards on Vimeo.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Sabedoria do Ti'Ricardo

Quem vê a dormir, não vê acordado.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

O que é que é suposto fazermos?

Quando conhecemos alguém que nos (hmmm...) "pega" mesmo como nós gostamos, mas que no resto ainda não nos convenceu. O que é que devemos fazer? E se acabar por não nos convencer no resto?

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Woo-oh, oh-oh

Já há algum tempo que nada me transmitia esta sensação. (Hmmm...) De que afinal a paixão ainda existe/é possível? Sim, acho que é isto que me transmite. Dá para sonhar... Desde os primeiros acordes que me despertou algo... Esperança?



Sei que só tenho 21 anos. Mas será que me voltarei a apaixonar? A ter aquele primeiro impacto, o za-za-zu, de algo novamente arrebatador e que nos faz sonhar? O amor!... Ou já queimei os meus cartuchos com as paixões não concretizadas? (Eu sei, eu sei! 21 anos...)

Woo-oh, oh-oh

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Boa e Má Notícia

Com 35 votos em 39 apurados, as pessoas que responderam à primeira questão do Ti'Ricardo prefeririam: "Um homem bonito com uma pila pequena". Sendo que, os restantes 4 votos foram para a opção: "Um Homem feio com uma pila grande".

A boa notícia é: O tamanho não importa, se forem bonitos.
A má notícia é: O tamanho não importa, se forem feios.

Confesso que para mim não seria fácil responder a esta questão, mesmo depois de reflectir encontro-me no mesmo impasse, compreendo as duas posições, ambas têm vantagens e desvantagens.
Não é que eu ache que o tamanho importe, mas uma pila pequena é uma pila pequena e existe também beleza numa pila como deve de ser.
E coloco-me a questão: Porquê é que prefeririam um homem bonito com uma pila pequena? É porquê é melhor ter alguém bonito ao nosso lado? Para mostrar aos outros, é mais agradável caminhar com alguém bonito ao nosso lado, mesmo que intimamente a beleza não seja tanta? Ou o olhar do outro não importa nada para isto, e o que está realmente em causa é que: uma pila grande não serve para nada, não são sequer agradáveis?
Eu confesso que uma pila maneirinha é mais bonita ao meu olhar que uma pequena e os olhos também comem, o mesmo se passa para os homens bonitos...

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Vantagens de se ser gay:

Numa relação, não temos de ser "nós" a matar aquela aranha...

terça-feira, 23 de julho de 2013

Menos uma coisa, mais uma coisa

A entrevista do mestrado correu bem, era meramente uma formalidade. Basicamente, já posso dizer que entrei, 9 vagas e apenas 5 candidatos (mas também, o que mais se poderia esperar com a actual situação em que vivemos?). Não me parece que não seja colocado. A faculdade é, apesar de tudo, uma organização capitalista e eu reúno todos os critérios (e não me parece que fique em último na lista de colocações, mas também não teria problema se ficasse). Estou a fazer uma jogada arriscada, como referi ali em cima, com a situação actual em que nos encontramos, mas acho que é o melhor para mim, e que jogadas não são arriscadas hoje em dia? E, até agora pelo menos, nunca me dei mal com os meus "instintos". A ver vamos... Bem já sei que continuarei em Lisboa, cidade que adoro (é cliché, mas é a luz e o Tejo. Adoro! Adoro!). Agora resta-me decidir se mudo ou não de casa...

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Eu cá não sei...

Que nem uso sabonete... Mas fica a dica:

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Sabem que mais

Estou aborrecido. E não devia estar aborrecido. Devia estar contente, terminei a licenciatura, agora espero uma entrevista para o mestrado e depois espero os resultados das colocações. É Verão...
Mas a verdade é que estou aborrecido, a minha vida está um pouco num impasse. Só lá para meio de Agosto sei o resultado das colocações e até lá não sei o que irei fazer futuramente. Supostamente, neste verão, devia ter ficado em Lisboa, ter arranjado um part-time e depois começar o ano lectivo já com emprego. Contudo, com isto da minha mãe tornou-se impossível, tenho de ajudar cá em casa. É impossível para o meu irmão fazer tudo sozinho, mesmo com a minha mãe estando melhor ela não está completamente bem e vai demorar na recuperação. Portanto, a minha ajuda é necessária. 
Ainda tenho de fazer um trabalho para um pequeno curso de verão que tirei na minha faculdade, do qual gostei imenso, e ainda nem tenho tema. Ou coisas para partilhar com vocês...
Estou na aldeia, ainda nem senti férias este ano e estou aborrecido. Portanto, preparem-se!
Vem aí: a primeira pergunta do Ti'Ricardo! E, antes que "paniquem", a resposta será anónima e podem responder ali do lado esquerdo.

domingo, 16 de junho de 2013

Um bom partido

Para além da minha pila grande e grossa (Sabiam que no sexo anal "importa" mais a grossura que o comprimento?), bonitos olhos castanhos e beleza natural estou agora a tornar-me numa verdadeira fada do lar! (In)Felizmente, não tenho como saber se sou uma verdadeira f*da do lar, mas tudo a seu tempo...
Portanto é isto, é só para dizer que me estou a tornar naquilo a que se chama um verdadeiro bom partido. Homens preparem-se que, eu, o vosso homem de sonho está pronto! Agora até já coloco a roupa a lavar. Já não me falta saber fazer nada no que toca às lides doméstica (bem, talvez sexo desenfreado em cima da máquina de lavar. Mas a parte de a colocar a trabalhar em modo de centrifugação já está tratada), tenho tudo para vos agradar. (Talvez não esteja com paciência para homens, mas ninguém é perfeito.)
Este meu upgrade doméstico prende-se com o facto de a minha mãe se encontrar doente. Há que ajudar cá em casa visto que ela não pode fazer nada e cheira-me que é para durar, infelizmente. Contudo, tristezas não pagam dívidas e há que ver o lado positivo do negativo.
Tudo isto para vos dizer que, e como já puderam aperceber-se, os posts por estas bandas continuarão a ser poucos, devido às lides domésticas cá na aldeia e porque ainda estou em época de avaliações na faculdade.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Sabedoria do Ti'Ricardo


Enquanto houver língua e dedo, não há medo.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Sabes que és gay

(E se dúvidas houvesse) Quando vais o caminho do metro até casa a olhar para o (belo) rabo do moço que segue na tua frente. 

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Uma definição maravilhosa

Amar é querer que tu sejas. 
                                            St. Agostinho



I.e., Possibilidade de reconhecer o outro e deixá-lo ser como é. Certamente só assim se pode amar, amando o outro tal como ele é.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sobre mim

Sempre achei mais penoso ir ao cabeleireiro do que ao dentista e não foi hoje que isso mudou...



São passos de bebé, mas são passos.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Twitter Moment

Quando vemos uma lésbica com um penteado melhor que o nosso (tendo em conta que o corte é parecido) e sabemos que está na altura de um corte de cabelo...

domingo, 12 de maio de 2013

Tumblr Uma outra Face

Como vocês sabem 98% das imagens que vão acompanhando os posts aqui do blog são retiradas da Internet, mais propriamente do Tumblr. Como tal, e porque já tenho mais de 5000 likes entre fotos e gifs no meu tumblr à espera de serem usadas no blog, chegou a altura de criar e partilhar as imagens de que vou gostando. Sendo assim, apresento-vos o Tumblr do Blog Uma Outra Face: 


Podem também procurar nesta página e encontram um link que vos levará até este Tumblr.
Sejam bem-vindos!

P.S. Poderá conter imagens para maiores de 18 anos, aquelas mais ordinárias que não são colocadas no blog.
P.S.2. Ah! muito provavelmente serão imagens que podem ofender os homofóbicos, just saying.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

quarta-feira, 8 de maio de 2013

De quem eu gosto

De quem eu gosto, não gosta de mim. E quem gosta de mim, não gosto eu...
Mas porque é que raio não nos apaixonamos por quem nos devíamos apaixonar e nos apaixonamos por quem não devíamos?
É que nós sabemos, mas da razão ao sentimento vai uma distância. São coisas que nos afectam a níveis diferentes. Vá-se lá saber porquê...
Uma coisa é certa, como eu costumo dizer, o mundo ainda tem muito que girar.



Adenda: Este post não é sobre estar apaixonado pela pessoa errada, mas sobre não estar apaixonado pela pessoa certa.

sábado, 4 de maio de 2013

Twitter Moment

Ontem bebi um cu. Assim, em jeito de celebração...

P.S. Para quem não sabe, cu, é o nome de uma bebida alcoólica.
P.S.2. Acho que vai passar a fazer furor em algumas festas (if you know what I mean)

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Há um ano atrás

Partilharam esta música no meu facebook desejando-me assim os Parabéns.
Este ano sou eu que a partilho. Com o mesmo sentimento de busca de esperança:


(Era esta ou a It's My Party. Mas fica para uma outra vez.)

Parabéns a mim!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Dia do Trabalhador



Retirado DAQUI. É tudo a visitar que vale a pena.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Eu sei que sou preconceituoso...

Mas sempre pensei que todos os gays fossem, regra geral, bem educados, simpáticos. No fundo, uns cavalheiros. (Não sei porquê. Talvez por normalmente se sentirem injustiçados na sociedade e não quererem perpetuar o mal estar, a infelicidade, no mundo. Penso eu isto devido ao meu preconceito). Tal não se sucede. 
Por exemplo, Domingo estava nos Armazéns do Chiado com uma amiga a comer um gelado e, como é natural, o espaço encontrava-se especialmente lotado com várias pessoas à procura de lugar onde se sentarem. No meio da azáfama encontravam-se dois moços gays (haveriam, certamente, mais, eu reparei naqueles) a lanchar e que quando se levantaram não arrumaram o seu tabuleiro, deixando-o em cima da mesa. A sério que isto me fez confusão!
O não ajudar, a má educação, a rudeza, a falta de civismo e de cavalheirismo, o não facilitar a vida aos outros, mesmo para com os empregados de limpeza que ali trabalham, já me faz confusão em geral, mas com os gays é algo particular, toca-me especialmente. Quando não cedem o lugar no metro a alguém que precisa ou quando não deixam uma senhora passar à frente penso sempre *Que rude! Idiota! A senhora precisa, levanta o c* ó mal educado(a)*. Mas quando é um gay acrescento sempre ao meu pensamento *Epá! És bicha, não devias ter mais compaixão e ser mais simpático e carinhoso?*...
E não, não sou o cúmulo da simpatia e do cavalheirismo (nota-se pelo tipo de pensamentos que tenho).


No fundo, pensava que os gays seriam uma espécie de elite de pessoas maravilhosas e super bem formadas. Mas não, são apenas pessoas.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Sabedoria do Ti'Ricardo

Mais vale pequenina e trabalhadora que grande e mandriona.

domingo, 21 de abril de 2013

O drama de não haver drama

O drama de não haver, neste momento, dramas na minha vida é que não há nada para partilhar aqui no blog. Talvez alargue os temas que volta e meia aqui venho escrever, mas tenho que pensar o que fazer. Quais os temas. Outras faces..
A mudança de visual que fiz aqui no blog também não chega. Tenho de fazer algo...
O blog anda a precisar de mudanças, de evoluir.


Não, não quero, nem estou a pedir, mais dramas para a minha vida. Apenas inspiração.
Isto do eterno retorno é tramado, quando abordo este tema no blog significa que se aproxima algo. Get ready!

sábado, 20 de abril de 2013

domingo, 14 de abril de 2013

Foi dia

Foi dia de ir estudar para a Gulbenkian. É bom que o tempo bom se mantenha.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Disposições

Sinto neste momento que quero ficar sempre solteiro.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Bem, já sei boiar

Nunca consegui boiar.
Domingo passado, fui à piscina com as meninas e em conversa lá disse que nunca consegui boiar. "Mas devias, nunca se sabe quando podes precisar", disseram. E lá me tentaram ensinar a boiar, mas nada feito. Continuámos na nossa vida até que resolveram voltar a experimentar-me como cobaia, desta vez com alguns materiais de apoio. Mas nada. Resolvemos continuar a nossa  vida, mas eu la ia tentando boiar numa ponta da piscina enquanto elas estavam na outra. E nada. Até que o vigilante (assim um homem com um corpo de pequeno Deus grego), a quem, por acaso, eu e uma amiga já tínhamos deitado o olhinho e havíamos ficado a apreciar e a achar que era gay, começa a falar comigo. Eu, atrasado como sou, não conseguia ouvir nada devido à água e à touca, até que percebo que ele me estava a tentar ensinar a boiar. Ora toda a gente sabe que nestes momentos o meu cérebro desliga. Não sei o que dizer ou para onde olhar, só me ocorre *Foge! Esconde-te!*...
Enquanto falava fazia gestos, eu acompanhava os gestos com o olhar sem saber que expressão fazer: "O Ricardo está a fazer mal (...) A parte mais pesada do seu corpo é a cabeça". Por acaso, nesta parte da conversa ele perguntou-me se eu sabia qual era a parte mais pesada do meu corpo, por um breve segundo ocorreu-me uma resposta certeira (if you know what I mean), mas achei melhor não dizer. Por outro segundo ocorreu-me dizer um "não sei", mas também não me pareceu bem dizê-lo. E lá disse que pensava ser a região lombar (por gestos claro, que o meu cérebro estava no fundo da piscina). "Tem de ficar com a cabeça mergulhada, não ponha o queixo encostado ao tronco (faz o gesto) (...) só esta parte da cara (e aponta para a sua cara e faz um gesto) fica à tona (...) e se quiser nadar de costas lembre-se: os braços ao longo do corpo, esticados". Faz o gesto, e eu olho para "os braços esticados ao longo do corpo"...
Não sei como não fiquei corado naquela altura (espero não ter ficado corado naquela altura) e só me lembrei *Não vais olhar assim para o homem, nem para o corpo do homem, nem para a sunga do homem... Desvia o olhar, fala* (claro que só balbuciava, mas porque é que me torno monossilábico!?) "Hm, Hm, okay. Obrigado". Não é preciso dizer que a esta altura só me apetecia mergulhar e desaparecer... Ele lá voltou a fazer as suas piscinas. Eu olho para as minhas amigas, que olhavam para mim, e só me apetecia afogá-las por me deixarem ali abandonado...
Passados 5 minutos e após fazer o que o vigilante com corpo de Deus grego me havia dito já estava a boiar. Não consegui agradecer-lhe após tal feito. Espero que da próxima vez que lá voltar ele esteja lá novamente. Só para agradecer claro...

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Twitter Moment

Hoje fazem-me o jantar.

sábado, 30 de março de 2013

Conselhos do Ti'Ricardo

Quando é que foi a última vez que atacaram o vosso mais que tudo?
Ou como se pode dizer, tiveram um ataque de tesão e atacaram o vosso mais que tudo até ficarem sem energias, completamente felizes e recarregados, mas exaustos...
É Páscoa. Fiquem sem energias uma noite, ou a qualquer hora. Cansem-se!


Foi um: Conselho do Ti'Ricardo. 

sexta-feira, 22 de março de 2013

Twitter Moment

Hoje, vou voltar à aldeia para a semana de férias da Páscoa. Apetece-me ir de comboio.
Se ao menos soubesse desenhar...

quarta-feira, 20 de março de 2013

Current Mood



Este pode vir cá para casa...



Pode ser que venha com o coelhinho da Páscoa.
(Hoje comprei um caleidoscópio, seria interessante vê-lo através dele...)

segunda-feira, 18 de março de 2013

Twiter moment

O que é que se faz quando se vê um moço giro a ler a Vogue no metro?
Sentamo-nos ao lado dele...



segunda-feira, 11 de março de 2013

A Bicha Intelectual

Acabar de ler o A Hora do Diabo, de Fernando Pessoa, no Miradouro de São Pedro de Alcântara possui todo um outro encanto.

A bicha  pseudo-intelectual recomenda a leitura.

sexta-feira, 8 de março de 2013

O Príncipe Encantado

Sim, hoje é o dia da mulher e estão todas de parabéns meninas.
Mas vamos lá falar dos Príncipes Encantados ou do Homem Perfeito, vou propor-vos um desafio inspirado NESTE POST do My Other Side.
Escrevam um post no vosso blog sobre como seria o vosso Príncipe Encantado e desafiem os outros bloggers a fazerem o mesmo.

O meu homem perfeito seria mais alto que eu (isto trás consigo a possibilidade de nos pegarem nas coxas contra a parede); moreno, mas não no tom de pele, aí o preferido é mesmo um tom ebúrneo; cabelo ondulado; olhos bonitos, não necessariamente azuis (a não ser que seja ruivo, nesse caso olhos azuis por favor); nada de lábios finos (já repararam que há pessoas que quase não têm lábios? No me gusta); um sorriso bonito que se estenda à cara e aos olhos; que não tenha um nariz pequeno; um corpo definido; poucos pêlos, ou sem, na zona do tronco. Uma voz bonita. Tem de ser carinhoso, romântico, mas quando chegar à parte sexual... Um bocadinho à bruta também é bom, lembram-se? Quanto a pormenores mais específicos, bem, a pila teria de ser como a minha (que é? é o melhor exemplo que me ocorre quando penso naquilo que quero que o meu homem perfeito tenha); versátil, mas mais activo (por achar que sou versátil, mas mais passivo. Logo, procura-se o equilíbrio na Natureza). Algo curioso, tem de ser mais velho que eu, geralmente não me interesso por gente mais nova e nem acho piada fisicamente a pessoas mais novas que eu (dizem que isto muda. "Burro velho procura erva fresca").
E agora a parte mais difícil, mas também aquela que é a mais importante: tem de ser divertido, ter humor, fazer-me rir; romântico, atencioso, mas não um "xoninhas"; inteligente, culto, mas não fixo apenas numa área em que seja um génio; tem de gostar de estar agarradinho no sofá a ver séries e filmes; tem de gostar de ler e de ouvir música, e fazê-lo agarradinho, por vezes, também; tem de gostar de estar em casa a namorar e tem de gostar de sair para estarmos com amigos e divertir-mo-nos. Tem de me entender, perceber, de certa forma, sem que seja necessário dizer (e pronto lá se tornou impossível encontrar o meu homem perfeito) e, o mais importante, gostar de mim e eu gostar dele. Existir um "Za Za Zu" recíproco.


É para pedir, é para pedir!...
Participem no desafio e desafiem os outros bloggers. E mesmo que já tenham o vosso mais que tudo podem fazer um post na mesma, a nossa imaginação é sempre mais mirabolante que a realidade. Sejam caprichosos.

P.S. Mais uma: Tem de gostar de beijar e de beijar bem.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Momentos

Domingo passado foi a noite dos Oscars, mas antes disso algumas das estrelas da "blogaysfera" (Oh, agora foi bonito, ham?) brilharam no convívio do pixel, organizado pelo Sad Eyes. Penso ter corrido muito bem. Foi muito giro ver as faces de alguns bloggers, às quais a imaginação não se pode sequer aproximar. E, pelas três horas de conversa, penso que podemos dizer que as pessoas são mesmo como o blog que escrevem. Fantásticas!
Antes do encontro do pixel, na sexta-feira, houve o conhecer mais um amigo, um blogger, o K., ao vivo. Houve, no sábado, um encontro com mais amigos, alguns deles bloggers, muito agradável com direito a um passeio magnífico pela cidade de Lisboa. Experiência a repetir.
E hoje, estava com uma amiga a sair do jardim da Gulbenkian quando a entrar vinha um casal gay de mãos dadas. Dois homens muito giros por sinal e que deviam ser estrangeiros. Eu e a minha amiga adorámos, trocámos logo olhares de aprovação e de felicidade. Agimos com naturalidade e passámos por eles, tão bonitinhos... E quando já havíamos passado a rua e estávamos a comentar como eram giros olhámos para trás, mas já não os víamos. Contudo, vimos um senhor já idoso a olhar para trás com um ar surpreendido. Claramente, nunca tinha visto algo do género.
Fazem falta mais destes  momentos! Fazem falta mais casais homossexuais de mãos dadas na rua e troca de carícias. Faz falta habituar as pessoas a esta realidade para que não existam mais pessoas a agir como este senhor, nem como eu e a minha amiga. Devia ser algo banal, comum, nem dar importância. Mas, espero, para lá caminhamos.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Twitter moment

E acreditem que eu nunca pensei dizer isto, estou farto de homens.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Conselhos do Ti'Ricardo (Especial Dia dos Namorados)

E porque o dia dos namorados é uma quinta feira e as pessoas trabalham no dia a seguir; porque estamos em crise e a vida está difícil; porque andamos em stress e precisamos de relaxar; aqui fica a dica do Ti'Ricardo para surpreenderem o vosso mais que tudo (e aproveitam também): Que tal prepararem um banho de imersão?
Assim uma coisa em bom: espuma, cheiros agradáveis, velas, música, e etc.
Uns bons minutos num banho de imersão com o vosso mais que tudo e o resto é convosco.

Tony Dracke by Erion Hegel Kross #1

Uma vantagem deste conselho é que serve também para os solteiros.
Já me estou a imaginar na banheira e uma caixa de chocolates em forma de coração...

P.S. Lembrem-se, as surpresas não são só para o dia dos namorados!

Foi um: Conselho do Ti'Ricardo.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O problema com os rapazes giros

É que uma pessoa distrai-se...
Está o Ricardo (eu), na fila, à espera de ser atendido na farmácia e lá vem o moço giro para a sua caixa, lá vou eu.
Enquanto isso, começo a pensar como está o meu cabelo em formato de cogumelo *Oh God! Estou com o meu cabelo no formato cogumelo! E com este vento estou todo despenteado. Oh God, Why?*
-"Boa tarde."
-"Boa tarde... (Faço o meu pedido)... E um batom cieiro, por favor."
*Estúpido! Estúpido! Tu não queres um batom cieiro, tu queres um batom para o cieiro, tu queres um batom para combater o cieiro. Idiota! Foge! A sério, apenas, foge!*
-"Prefere alguma marca?"
-"Não..."
Volta o moço com o pedido. *Wow, tem uma cor de olhos tão gira...*
-"Quer recibo?"
-"Não..." *What? Não quero recibo? Eu devia pedir recibo...*
-"Okay, boa tarde!"
-"Obrigado, boa tarde!"



Maltinha, eu peço sempre recibo na farmácia...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Twitter moment

Hoje passei o dia com o instrumento na mão, a.k.a. - moto serra. Portanto o post prometido ficará para outra vez.
(Perverts!)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Face Peluda

O problema de estar a deixar crescer o cabelo é que, enquanto não fica comprido o suficiente e já não se encontra curto, atravesso uma fase em que pareço um cogumelo do Super Mário. O pior é que ainda deve estar nesta forma durante um mês, ou pior dois. Se me cansar corto-o como tinha anteriormente. Contudo, apetece-me mudar. E depois ainda decido se uso barba ou não. Apetece-me usar barba.
Estou numa fase peluda...
Se este post é de algum modo relevante? Não. Mas estava sem net aqui na aldeia, já não colocava os olhos nos blogs há não sei quanto tempo e ando um verdadeiro homem do campo a ir para os pinhais apanhar madeira (até ia escrever paus, mas já sei que podia ser mal interpretado...) qual lenhador! E não tenho cabeça para escrever coisas profundas. Acho que amanhã dou a minha primeira dica de beleza/maquilhagem.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Coincidências

Isto há com cada uma...
Após ter postado o post anterior, nessa noite, o moço perguntou-me se quereria sair com ele e com uns amigos, pelo bairro e pelo Trumps. Foi uma boa noite, uma boa saída. (Soubesse eu e já tinha postado antes).
E... 
Contas feitas e noves fora, a única coisa que vejo a sair dali será uma relação de amizade, se o moço quiser.

Há todo um lado do "mundo gay" que eu espero mesmo ficar sempre à margem (também existe no "mundo hetero", claro, mas nesse não me parece mesmo nada, nada, que venha a fazer parte [vá-se lá perceber porquê não é?]). Sei que não posso dizer nunca, mas acho que há experiências que eu não quero mesmo ter.

sábado, 26 de janeiro de 2013

Sabem

Aquele sentimento de, não é de felicidade plena ainda que seja de uma certa felicidade, de saberem que estão a fazer as coisas bem? De que as coisas apesar de tudo estão no seu alinhamento certo? Um sentimento de conforto. De que as coisas são como são e assim é que faz sentido ser, ainda que pudessem ser de outra forma. E que, o que vier virá e será o que faz falta.
Esse sentimento geralmente vem porque sim, despertado por alguma coisa não particular, porque sim. E é, no fundo, a ponta de um icebergue, o que sai da superfície e nos desperta para isso. Foi esta música a ponta do icebergue. Deixou-me feliz e quero ver o filme, ou será que gosto da música porque acho (sei) que vou gostar do filme? Eu explico, a publicidade a este filme no canal fox life tem como música de fundo esta:



Já havia tido uma “epifania”. Estou solteiro e há que aceitar isso. Isto é, não há mal nenhum nisso, se o que eu quero é uma relação séria e se ela não vem por eu ter apenas a idade que tenho, isto é, quero uma coisa que geralmente não se tem na minha idade, ou muito raramente alguém já tem, então “espera-se” por isso, e se vier vem, sem dramas. E entretanto tenho o direito, e posso, viver outras coisas. Estou solteiro, estou solteiro, adoro-me (ponto). Há que aproveitar o que tenho neste momento, os meus amigos, as pessoas que conheço, a vida que vivo e tenho neste momento, porque também foi a vida que quis ter desde pequeno. A partir de aqui há que pensar uma nova vida que quero e, também, “ver” no que esta irá dar, no que se tornará. Estar solteiro para mim  não é sinónimo de andar por ai. A “experimentar”. A “comer” por “comer”. Espera-se mais um pouco para ver o que vem ai, sem dramas. E, enquanto isso, vai-se fantasiando com o rapaz mais sexy, giro e gay (! Bónus) do curso (para além de mim claro, cof! cof!) e que ele nos levanta as coxas contra a parede. Esta é uma das histórias que não foi partilhada neste blogue (bem, por causa DISTO - assunto que já está mais que recalcado, já agora), mas, basica e resumidamente, o que há para contar é: 
      *Momento de vergonha 1, passado por mim, claro.
      *Momento de vergonha 2, passado, também, por mim, claro.
      *Ele fica com o meu número, numa maneira muito bem engendrada por mim, diga-se de passagem.
      *Há uma forma de “comunicar com ele”.
      *Ele pede o meu facebook.
      *Eu digo-lhe que fica «a dever-me uma». 
      *E... A mona já não disse mais nada. Pronto finito, aguardam-se desenvolvimentos. Caso os haja, casa não haja, olha... Paciêncinha. Mas nem me vou mexer mais nesta história, recuso-me.  

Estou mais velho. Isto é, perdi o ar de miúdo que tinha ainda o ano passado. Nota-se, é na zona dos olhos. Dá-me graça, é verdade. O problema é que isto passa muito rapidamente e não tarda já tenho de andar nas plásticas, just saying. Estou em bom agora e a passar desse “em bom”. 
Fiquei contente por ter feito as cadeiras todas do primeiro semestre que tinha que fazer, as notas foram boas, ainda que não as melhores. (Volta secundário, estás perdoado). Mas fiquei feliz, fiz os “cadeirões” à primeira. E ainda que não sejam grandes notas, dá-me mais prazer ir às aulas e ouvir o que ouço, aprender o que aprendo, pensar sobre isso e viver a minha vida e os vários interesses que tenho (ainda que não os viva plenamente, há sempre mais em potência não é?), e as notas não são indicadores de nada só por si. Era o que mais me faltava, martirizar-me porque tive aquela nota e não aquela. (Ainda que isso aconteça por vezes, claro). Mas no que gostei e tive mais prazer (logo trabalhamos mais facilmente e com gosto) até tive bons resultados. E, diga-se de passagem, eu não fiz realmente nada com tempo e afinco, não fiz nada que tivesse o sentimento de: "Uau, fiz isto e está mesmo “em bom”". Mas bem, ninguém nunca fica satisfeito com o que faz não é? E isso é bom, sabemos que tinhamos, temos, mais para dar. E estagnar é morrer.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Conselhos do Ti'Ricardo

Um orgasmo por dia dá saúde e alegria.



Foi um: Conselho do Ti'Ricardo.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

The Versatile Blogger Award!

Antes de mais quero agradecer ao Lobo Solitário, ao Sad Eyes e ao Jaime por este prémio, são uns queridos por se lembrarem de mim (não é só pela regra...).

the-versatile-blogger-award-stamp

Agora vou ser batoteiro e não vou nomear ninguém especificamente, até porque já foram quase todos escolhidos. A quem ainda não o tem e quiser levar o prémio, é vosso!

E agora, 7 coisas sobre mim (Tan! Tan! Taaan!) :

* Hoje comprei uma petúnia preta;
* Tenho dois tsurus pendurados à janela, sobre a petúnia;
* Nunca fui beijado à chuva;
* Compro a Vogue quase todos os meses;
* Os meus likes no tumblr são maioritariamente "ordinários" (é geralmente daí que vou buscar as fotos para o blog, as menos ordinárias claro)
* Tenho um piercing na orelha;
* Continuo a preferir beber leite com chocolate ao pequeno almoço, em vez de café.


___
Estas são as regras: 
Agradecer à pessoa que te deu esta nomeação e incluir um link para o seu blog.
Escolher 15 blogs e nomeá-los com o “Versatile Blogger Award”.
Escrever 7 coisas sobre ti.


P.S. A parte do "versatile", é suposto ser alguma indirecta? (O que é, fui o único a pensar isto?) 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013