terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sobres mims

De vez em quando adoro uma boa foleirada.
É verdade, tanto na música (aquelas músicas mais pop. E já tiveram exemplos disto por aqui no blog), como no cinema (O Diário da Nossa Paixão. Biiichaaaaaaa), de vez em quando no outfit que me dá para vestir (papillon ou chapéu. Todo pipi) em muitas outras áreas certamente, e também nos livros.
O prazer que me deu ler este livro e largar as leituras académicas. Comprei-o esta tarde (já havia lido os livros anteriores da autora e sabia o que ia encontrar e gostar, inclusive comprei um no primeiro encontro com o rapaz que foi "o meu primeiro amor") e foi até agora às duas e trinta da manhã, com a pausa para a aula do dia em que só me apetecia voltar a lê-lo
Adoro esta escrita leve que nos leva a visualizar as imagens como se de um filme se tratasse. Neste caso particular, as descrições visuais do tempo, os cheiros, a atmosfera e tudo com um toque de magia (adoro, adoro, adoro, adorava, adorava, adorava, ter alguma espécie de poder mágico, nem que fosse o olhar astuto, profundo, que as personagens do livro possuem umas sobre as outras). Ah, e o romance, o romance aveludado que nos deixa a sonhar, o sentimento de que o que tem de ser será e de que as coisas são tão fáceis quando estamos apaixonados e somos retribuídos, de que é quase automático, que é quase certo que acabaremos com alguém só porque é a pessoa certa, só porque é o amor, só porque a vida se encarrega disso. Caraças, estou com aquela vontade de estar apaixonado e ser retribuído, mas depois penso que para isso é necessário conhecer pessoas... e Deus me livre. Lá se vai a vontade. O bom destes livros é que podemos deixar ao sopro do vento que as coisas se encaminham. (Fia-te na virgem e não corras).

A Árvore dos Segredos, de Sarah Addison Allen

14 comentários:

  1. Eu de leituras leves andei por Susana Tamaro, e alguns da Nova Era, mas, confesso, só nos grandes clássicos de literatura sinto orgasmos literários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu compreendo. Mas este tipo de leitura também me dá um orgasmo, fazer o quê? xD

      Eliminar
  2. eu sou mais como tu, gosto desses livros mais levez, como o "Ps: I love you" etc :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca li o livro. Já o filme também adoro. Lá está, nada como uma boa foleirada de quando em vez :)

      Eliminar
  3. ##
    Sou também um leitor veterano em leituras. Quantos livros existem, que só nos falta meter-mos dentro deles, para nunca mais de lá sair, só de encontrar este mundo cheio de contradições. Muitos desses livros marcam vidas, as dos outros e as nossas, moldam-nos o caracter. Ajuda-nos a conhecer melhor os meandros das pessoas que nos envolvem, amadurecem-nos a robustez intelectual, até nos apaixonar-mos por alguém de quem pensamos que tem tudo para nos dar. Mas, não é só um pedaço de algo que nós precisamos para esse momento. No entanto o melhor de nós é conhecer outro e conviver com eles e esperar que nos também surpreendem, mas parece-me que esta questão está cada vez menos em voga, quando meio mundo se enfia em casa vendo lixo tóxico que lhe entra pelo ecrã da TV. Fica bem, um abraço, continua com os teus post maravilhosos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem, tens toda a razão parece-me.
      Um abraço e muito obrigado :)

      Eliminar
  4. Adoro foleiradas mas confesso que em termos literários não. Ou seja consigo ver um filme adaptado de um romance dele (O diário da nossa paixão) - de que gostei muito :) - mas lê-lo é doloroso. Acho que ele é mais um argumentista do que um escritor XDD
    Gostei da frase com que terminas o post.
    Abraço Ricardo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o livro de que aqui falo não é do Nicholas Sparks. (Apercebi-me agora que o post pode estar um pouco confuso por só especificar o livro no fim do post). Não sei se a escrita desta autora é parecida ao de Nicholas Sparks (é talvez provável), tal como tu nunca li nada dele, vi o filme e gostei, mas não me puxa pegar num livro dele para ler...
      A "Fia-te na virgem e não corras"? Não conhecias a expressão?

      Abraço Arrakis

      Eliminar
    2. Não, a frase anterior :)
      Abraço grande :)

      Eliminar
  5. eu cá acho que para se dizer mal de um autor tem que se ler as suas obras, por isso lá por casa andam um do sparks, recebido num natal, um da tamaro, comprado há muitos anos e um do coelho, recebido há mais de uma década. não são maus, mas enfim, não merecem segunda leitura nem sublinhados. mas eu também cresci a ler os rótulos das embalagens...
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão Margarida. Hahaha eu também leia, e ainda leio.
      beijos :)

      Eliminar
  6. Estou precisando ler algo diferente, boa a dica.

    ResponderEliminar