quarta-feira, 31 de março de 2021

Sobre o ser-se apertadinho...

Pensei que escapava, mas não... Tive de ir fazer o teste ao Covid19. Quanto a vocês não sei, mas enfiarem-me coisas pelo nariz dentro nunca me pareceu algo agradável ou um fetiche espetacular e prazeroso. Estava portanto receoso. Contudo, agora que passei pela experiência, posso dizer-vos que: não custa nada. 

Contudo, porém, todavia, no entanto, mas... não seria a mesma coisa se não viesse com uma historiazinha para contar. 

Enfermeira - coloca a zaragatoa no nariz, vejo o sobrolho franzir. Pausa. "Não estou a conseguir enfiar mais..."

Eu - a pensar - "A história da minha vida... (Não te rias!)". Digo: "Sabe, é que tenho o nariz torto." 

Enfermeira olha para a minha cavidade nasal. "Ah! Tem um buraco muito pequenino!" 

Eu, a fazer um esforço para não me rir, só penso: "Isso geralmente é o que me dizem... if you know what i mean". Mas só penso... 

Ainda ouço um: "Não deve conseguir respirar nada por aqui durante a noite..." 

Só me sai um: "Pois...". 

Lá dá o jeitinho (é sempre importante) e entra. Ufa, super cuidadosa, sem problema nenhum. 

Segunda narina: PUMBA! Tudo lá para dentro, sem aviso, sem gentileza e a esfregar como se fosse sair um génio da lâmpada...

E fico por aqui com todas as comparações e/ou metáforas que poderia realizar.  

7 comentários:

  1. Muito bom!!
    E há sempre formas de contornar as situações :-P

    ResponderEliminar
  2. Eu desatei-me a rir durante um teste e fiquei com a zaragatoa entalada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Well... digamos em que consigo criar um paralelismo com uma situação em que me comecei a rir desalmadamente, mas aí eu já estava a ser "entalado"...

      Hahaha a tua história ganha à minha :D

      Eliminar