segunda-feira, 14 de maio de 2012

Perdoai-me Senhor

É por estas e por outras, ou melhor, é por estes e por outros que eu sou homofóbico é o que é:
Estou eu no metro lindo, maravilhoso, a morrer de calor, a suar, despenteado, todo desarranjado, com a mala pesada, a começar a ficar com uma dor de cabeça e com os phones a ouvir música (sim, eu quando estou com dor de cabeça ouço música, ligo o rádio aos altos berros e assim tento abstrair-me da dor. Pois, também já me disseram foi que nunca tive uma dor de cabeça a sério. Eu acho que sou apenas uma pessoa estranha, enfim...), ou seja, super rezingão e ainda por cima o metro cheio e eu no meu canto. Quando entram três rapazes, que como se diz, são claramente bichas. Todos eles muito gestos com as mãos. O rapaz que escapava em relação ao seu estilo era o que falava mais alto; o outro com o cabelo pintado de rosa, camisola de alças super justa a mostrar tudo (não gosto nem de ver em homens hetero) e calças mais justas ainda que pareciam leggings. E leggings não são calças. O outro, um loiro com duas madeixas de lado cor de rosa com o cabelo puxado para cima com os óculos de sol, calças de gaja super justas com a braguilha ligeiramente aberta (porque queridos, quer queiram quer não vocês têm algo na frente que as senhoras não têm e que ocupa espaço, querem usar calças justas? Comprem skinny jeans para rapaz que existem, eu tenho...) botas (com este calor?) e uma camisola ali da feira, de gaja pinderica, de malha ou o que raio era com brilhantes e mais não sei o quê dentro das calças com  o cinto de gaja em destaque (E depois ainda me perguntam se por eu gostar de moda me visto com cintos de gaja, isso não é moda é pinderiquece horrível )... E a falar alto. É preciso isto tudo para chamar a atenção?
Eu sei, eu sei. É assim que se gostam de se vestir, sentir, exprimir e acredito que é necessária muita coragem para andarem assim na rua, ou então falta de consciência, e ninguém tem nada a ver com isso ou de julgar sequer. Tudo bem, eu acho pinderico e feio não tenho direito de julgar mas tenho direito à minha opinião. Querem um styling upgrade dado pela minha pessoa?
E depois são mal educados. Estou eu no meu canto quando, devido ao metro, um deles vem contra mim e ainda me pisa, e depois em vez de pedir desculpa, não. Até parece que fui eu o culpado. Mas depois lá levantou a mão a olhar-me de lado e parece-me que pediu desculpa. Eu lá disse um "não tem problema" com um sorriso no rosto e fui simpático, e depois o outro que ia ao lado dele ainda se riu, mas não de uma forma afável. Agora que penso nisso, não sei se me pediu mesmo desculpa ou se só levantou a mão por acaso e disse alguma coisa ao outro e eu feito burro tentei ser simpático e dizer que não havia problema quando o que merecia era uma cara feia da minha parte.
Devia era ter dito "Olha de tanto pintares esse cabelo, ainda por cima desse loiro feio, tens o cabelo todo seco e estragado", mas eu controlei a gaja que há em mim.
Pronto, não é ser homofóbico, não quero que sejam exterminados nem acho que não são criaturas de Deus com direito a viver e a fazerem o que querem como querem desde que não façam mal a ninguém e sejam felizes. Este era exactamente o mesmo discurso se visse umas miúdas manientas a gritarem  no metro que eram no fundo o que eles tentavam ser. E a minha pergunta é, há mesmo pessoas que gostam de namorar com eles, casar, ter uma vida em comum? Eu sei que não sou a pessoa mais masculina do mundo, mas quero dizer... Eu sou homem, visto-me como homem, ainda que goste de me vestir bem, dentro da minha visão claro do que é vestir bem e aquela é certamente a deles. Como uma amiga me perguntou se eu gostava de ser gaja (pois é, ainda não disse aqui mas a minha melhor amiga da faculdade, sabe que sou gay (a que não queria acreditar que eu era, ou melhor, a que achava que eu estava a gozar com ela), contei-lhe e mesmo assim foi difícil de convencer (e já sabe também outra que me perguntou se eu era, esta já mais velha, e eu já sábia que ela sábia (via no olhar), e que só tem amigos homossexuais, segundo as palavras dela, e que me queria apresentar ao melhor amigo para fazer um arranjinho.) Eu disse, "Bem se tivesse nascido rapariga era mais fácil, claro. Mas, tenho uma pila e gosto dela. Aliás, é por gostar tanto dela que quero mais na minha vida... Hahaha Just Kidding."
Portanto sou homem, gosto de ser homem e gosto de homens. E entendo que há homens que se sentem mulheres presos num corpo errado e gostavam de ser efectivamente mulheres. Acho que não seria capaz de namorar com um ou de partilhar uma vida, gosto de homens gay masculinos, nasci assim vá-se lá fazer o quê? Mas aqueles não entendo, os ídolos femininos que possam ter não são assim, não é assim que as mulheres se comportam ou se vestem. Mas pronto cada um sabe de si e Deus sabe de todos e sejam felizes.

P.S. Já disse que estou rezingão hoje?

36 comentários:

  1. Nunca tinha pensado nisso dessa maneira, mas gostei: tenho uma pila, gosto dela, e é por isso que quero mais na minha vida (eu diria antes "é por isso que quero mais uma").

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mais uma chega-me perfeitamente :)
      E certamente que já será trabalho suficiente hahaha :P

      Eliminar
    2. também adorei a forma estruturaste esse pensamento em particular XD

      Eliminar
  2. Pois, esse tipo de gajos não me diz absolutamente nada. E depois, não sei porquê, são quase sempre mal educados e arrogantes. Não há paciência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus pensamentos exactamente xD

      Eliminar
    2. Concordo, pelo contrário, rapazes assim na verdade até me repelem. Não são carne nem são peixe, nem sei o que fazer com "aquilo"... lol XD

      Eliminar
    3. Eu também não sei mesmo. E não faço nada diga-se de passagem :D

      Eliminar
  3. Faço das tuas palavras as minhas. Partilhamos de opinião.

    ResponderEliminar
  4. Tens razão, menos numa coisa. Não há mal nenhum em usar botas no Verão. Olha para os escuteiros :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha tens razão, mas os escuteiros sofrem. xD
      E não usam as botas que eles usam e como usam... Não é pelas botas, é pela forma :D

      Eliminar
  5. não estás sozinho nesta luta. homens querem-se como homens. Não gosto cá de limbos...

    ResponderEliminar
  6. Sei que sou muitas vezes criticado por pensar como tu, mas penso mesmo.
    Sim, todos temos o direito de existir à nossa maneira, mas muitas vezes, essa maneira de existir colide com princípios de boa educação e de saber estar. Assim, quem me critica, e a ti, é óbvio, tem bom remédio: atura-os e dá-lhes apoio, pois eles precisam mesmo de apoio, coitados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu ainda estou a espera dos comentários de ataque.xD Mas não que tenha algo contra eles.
      E concordo contigo. Ou pelo menos de boas maneiras...

      Eliminar
  7. ahahahahhahahahahah

    Às vezes sinto-me como tu, apetece-me descer do meu salto...

    mas, sou um senhor LOLOLOLOL

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, há que ser sempre um senhor.
      E recebemos educação para isso xD

      Abraço :)

      Eliminar
  8. Odeio esse tipo de rapazes/raparigas/misto/bichas/fufo-pindéricas por uma simples razão: como referiste, e muito bem, são muito mal-educad@s.
    Devem pertencer a uma nova elite social, erradiando toda a sua beleza, estilo e pensamento (demasiado!) contemporâneo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elite Social?
      Se isso for a nova elite social estaremos perdidos xD

      Eliminar
  9. Pois eu também concordo contigo, sou um homem que gosta de homens, não de bichas histéricas e exibicionistas (não há outra maneira de dizer isto). É uma cena que me incomoda bastante mas não me considero homofóbico. Simplesmente ignoro-os, não fazem parte do meu universo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, eu não me considero homofóbico, como poderia?
      E como disse, também no texto, não os pretendo exterminar ou mal algum, vivam a vida deles e da maneira que os faça mais feliz. Mas não os entendo e a boa educação não faz mal a ninguém xD

      Eliminar
  10. O que eu me ri a ler este teu post. xD

    O que relatas fez-me lembrar aquilo que vejo muitas vezes quando vou na Rua de Santa Catarina com um dos meus best frends: uma data de miúdos e gajos parvos, peneirentos, com a mania que são bons e armados em "fashions", assim vestidos como tu dizes. Esse meu amigo também é gay e tanto ele como eu achamos rídiculas estas atitudes.

    Estas "aves raras" são mesmo umas "bichas do démonio", ahahahahah!

    Abraço grande :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hhahah ainda bem que te ris-te é exactamente essa a ideia :D
      Já estou a ver que muita gente concorda comigo.

      Adorei os bichas do demónio hahahaa :P

      Eliminar
  11. Post a post vou-te conhecendo melhor... eu também penso como tu.
    E estavas rezingão quando escreveste...
    Um abraço para ti :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohw ^^ Obrigado Pedro, penso que vamos deixando um pouco de nós próprios a cada texto e neste caso a expressar a nossa opinião de uma forma não tão mediada pela presença de alguém...

      Outro Abraço :)

      Eliminar
  12. concordo em absoluto contigo, apesar de há muitos e muitos anos numa galáxia distante ter tido um amigo que era gaja completamente e la tomávamos os nossos cafés, confesso que não me sentia muito á vontade mas por outro lado éramos amigos .
    Mas pronto..resumindo e concluindo , sou homem e gosto de homens!
    ou melhor, gosto de um, que teima em não aparecer.
    Abraço grande!!!
    JC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahah João já somos dois. O meu também nunca mais aparece...
      Mas há de chegar. Se ele não chegar olha, ele é que perde :P

      Abraço ^^

      Eliminar
  13. Opa, o que eu me ri. Vamos lá ver... Eu sou homem, gosto de homens... se gostasse de bixas malucas todas efeminadas e a pavonearem-se pelas ruas, mais valia atar uma corda à pila com um tijolo bem pesado e mandar-me ao mar. Entendam uma coisa minha gente. Os gays ficam muito mal visto por pessoas/coisas como estas que andam por ai a mostrar todo o seu (nao)charme. Não tenho nada contra porque cada um faz o que quer, mas por favor... podem deixar de ser tão pandeleiras? LOL. É que assusta-me a mim que sou gay, imagino as outras pessoas. Devem de ir pa casa rezar e colocar sal na entrada das portas para a ''BIXA'' do demónio não entrar.

    Homem que é homem usa coisas de homem e conporta-se como tal. Eu sou gay, masculino e n entendo como há pessoas, como tu dizes, que gostam de fazer vida com essas aves raras. Eu não seria capaz. Mas há gostos para tudo. Cada vez mais me convenço que existe heteros, bi, homos e depois lá mesmo no fundo do saco uma mistura qualquer de ''pirilampo gay'' com ''Deus nos ajude'' que dá por nome d bixa moderna.

    Credo... não sou homofobico mas por favor, minha gente, tratem-me essa cabeça e já agora esse mau gosto XD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahaha adorei a expressão pirilampo gay :D

      Eliminar
  14. Bem, falta a minha opinião.
    Eu sinto-me, ligeiramente, incomodado com as vossas opiniões.
    Mas não é um problema vosso, como é óbvio. É um problema meu.
    Há uns anos atrás, quando ouvia o meu namorado, ou outros gays, falar das 'bichas' nos mesmo termos que os vossos, não conseguia deixar de sentir uma forte repulsa e confusão (ainda hoje a palavra 'bicha' não me cai bem no ouvido). A coisa atravessava o ar e atingia-me diretamente em feridas do passado. O irónico é que na adolescência, os poucos e pontuais comentários homofóbicos dirigidos à minha pessoa assumiram proporções desajustadas, fruto de uma hipersensibilidade pouco amadurecida, apesar de até ser alvo do desejo de algumas raparigas e apenas ser 'traído' pelo meu estilo correto e polido de falar 'à sobrinho de Cascais', algo que só mais tarde compreendi. Mesmo tendo trabalhado mais de 4 anos na mais masculina das profissões (?), como 'trolha' da construção civil, e ter-me integrado como um, entre os outros, não vejo significativa diferença entre a homofobia inconsciente daqueles e a homofobia consciente vossa, entendida, por mim, como um aspecto 'pouco nobre' de personalidade (está encontrado o meu karma de auto-reconhecimento nesta reencarnação!). Aliás, se algo houve que mais confusão me gerou, quando comecei a conviver com homens gays, como eu, e a conhecer um pouco do universo gay, do qual estive um pouco àparte, foi este tipo de discurso, ilustrado neste texto e nos comentários. Na minha cabeça, a pergunta: 'Mas como podem estes gayjos, supostamente inteligentes, que nem são tão 'perfect hetero actings' assim, apontar o dedo a outros gayjos, só por serem mais afemininados?'. Por vezes, confesso que o fenómeno me parece coisa freudiana, do género de repúdio que fazemos aos outros sobre uma característica que não queremos admitir como nossa. Outro exemplo: frequentemente condenamos alguém agressivo, e nem tão pouco temos consciência da nossa agressividade. É como se esse repúdio/incómodo fosse um alerta da nossa alma para olharmos em nós próprios o que percepcionamos nos outros. No teu caso, Ricardo, a 'arrogância' dos outros pareceu-me ser esse alerta.
    Mas de longe te considero arrogante, rapaz (mesmo que a tua alma, aparentemente, te o mostre às claras). E eu admito que sinto o mesmo desconforto e, por vezes, repúdio pelas 'drama queens'. Felizmente, a vida levou-me a relativizar tudo o que somos e aparentamos. E hoje sou muito mais relaxado e sereno diante de tudo e todos, encarando os lados da barricada como 'bons'. É como quando se fuma ganza e nada nos incomoda e tudo nos parece bem, em 'peace & love'.
    Hoje, aos meus clientes 'drama queens' trato como verdadeiras 'queens', uma atitude inesperada de respeito e cortesia que (psicologia pura!) os fazem percepcionar o ridículo e desnecessário das suas performances. É surpreendente ver a rapidez como a arrogância se transforma em cortesia. Tenho para mim a teoria de que todos somos tudo e tudo nos habita por igual. E o que atraímos para a nossa existência, ou para o nosso caminho do metro, não é uma mera coincidência.

    Abraço
    (vá, e um beijinho... rs)


    P.S.: Eu admito que também (ainda) julgo demasiado os outros. Como dizia o nazareno 'Quem não tiver pecados, que atire a primeira pedra.' Desculpa lá este julgamentozito. A minha sentença para ti: pena suspensa e apresentações periódicas aqui no teu blogue ;)

    ResponderEliminar
  15. Queria dar-te uma resposta maior, a ti e ao nonsense, mas hoje não estou "com cabeça". Desculpem... Vou só ao que me parece mais importante. Dou-te razão em algumas coisas. Vejamos, só porque as outras pessoas os trataram mal ao longo da vida eu não sou culpado e não tenho de levar com a arrogância deles. Fui ao longo de muito tempo chamado de lélé, bicha, pandeleiro, gay, menina, mimi, etc... E não sou assim, nem trato mal os outros como defesa, penso que é aí que queres chegar(?). Quanto ao ser arrogante, não digo que nunca o seja, mas posso ser, sou, como defesa não como ataque.
    Uma coisa é a legitima defesa outra é o ataque.
    E se reparaste eu disse que não sou a pessoa mais masculina do mundo nem ajo de maneira hetero.
    Foi apenas um texto de opinião onde expus que não os compreendo, mas que também não quero o mal deles ou que não tenham direito a uma vida feliz.

    ResponderEliminar
  16. "Mas, tenho uma pila e gosto dela. Aliás, é por gostar tanto dela que quero mais na minha vida... Hahaha Just Kidding." Uma frase para recordar, sem dúvida!
    Não tenho 100% a certeza se concordo com o que disseste...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a parte em que dizes que só estavam a tentar dar nas vitas... e que estavam a tentar ser gajas e não sei quê...
      Anyway, estou numa área cinzenta quanto a este assunto xD

      Eliminar
    2. Repara é só a minha visão sobre o assunto. Não sou nenhum expert xD

      Eliminar