quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O número - o desafio

Ontem, em conversa com o inefável começámos a contar as pilas que já nos passaram pelas mãos. Eu confesso que até fiquei corado com o meu número e tenho medo de haver ainda alguma que me esteja a escapar.
Achei piada ao exercício porque, apesar de pensar, por razões óbvias, que não se deve ter uma contagem ou fazer listas com as pessoas com quem já dormimos (com a quantidade de pessoas com quem já DORMI essa contagem já está perdida), a verdade é que, muitas ou poucas, o primeiro número que dizemos não vai estar certo (tá, se for só um...), há sempre uma (ou mais outra) que nos escapa. E quanto maior for o número das quais automaticamente nos lembramos maior também será o número daquelas que nos esquecemos. A não ser que tenham uma listagem atrás da cama ou vivam a vossa vida em função do número de pessoas a quem já tocaram no berimbau para algum divertimento...
Não, não vou revelar o meu número ou pedir que revelem o vosso, isso não importa nada ou quer dizer o que quer que seja. Mas, se estiverem sem nada para fazer (ou sem vontade de escrever a tese), pensem nisso e tentem lá acertar no número: quantas pilas já vos passaram pelas mãos? E depois pensem seriamente a ver se o número se mantém. 


P. S.: se se lembrarem do primeiro e ultimo nome de toda a gente, sem ir ao facebook, ganham um prémio. 

17 comentários:

  1. eu sei o nome de toda a gente com quem estive. posso não saber necessariamente a ordem correcta.

    ResponderEliminar
  2. Os nomes não sei. O número sou capaz de saber até porque não foram assim tantos. Vou contar e já te digo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foram 9! E o nome que mais repeti foi "Carlos" lllloooollll

      Eliminar
    2. Hahaha não há por aí nenhuma esquecida?
      Carlos só um, o nome mais repetido no meu caso é Miguel

      Eliminar
  3. Samuel Steward (aka Phil Andros) mantinha uma "stud file" detalhada com todos os encontros sexuais que mantinha (mais tarde deu este seu arquivo a Alfred Kinsey) e, curiosamente, ficava com uma pequena lembrança de cada um. Um dos seus one night stands mais famosos foi Rudolph Valentino e a lembrança que guardou religiosamente (sim, colocou-o num relicário, ver foto aqui http://2.bp.blogspot.com/_9Phx8WzcLMw/TNnIu7J_zrI/AAAAAAAAAgM/P-32BF58zCU/s400/2.2.jpg), dizia eu, a recordação que guardou do grande Valentino, foi... um pintelho! :D
    Vocês também guardam lembranças dos vossos números?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, credo. Apenas as memórias... Se calhar podíamos começar a fotografar e a por no instagram, um antes e depois :D

      Mas adorei a informação João, obrigado.

      Eliminar
  4. Lembro-me dos nomes, primeiros e últimos de todos, qual é o prémio. Não guardo cá lembranças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou tens uma grande memória ou então não sei lolol

      Eliminar
  5. Guardas as próprias lembranças...

    Eolo o teu prémio é uma congratulação oral... Pela tua boa memória: "Boa, Eolo! Não precisas de Memofante."
    Mas olha, se a memória não me falha a mim, não foste tu que num daqueles "eu nunca", do Namorado, disse que teve um one night stand com alguém que engatou no trumps... Até desse te lembras do primeiro e último nome?

    Eu ás vezes nem o nome dos meus amigos me lembro...

    ResponderEliminar
  6. Eu lembro-me mais do que uns do que outros. Lembro-me apenas dos melhores loooool
    A alguns atribuí alcunhas para os identificar melhor lool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha antes dos melhores que dos piores.

      Que tipo de alcunhas, Renascido?

      Eliminar
  7. 1. O inefável é uma vadia. Há que tempos que não falo com essa bicha" ! LOLOL
    2. Eu Lembro-me de todos (porque também foram poucos). Não sei o apelido de um, mas também nunca o soube...

    ResponderEliminar
  8. agora que tento fazer esse exercicio, lembro-me melhor do formato da piça do que do nome dos gajos lol tenho uma memória seletiva...

    ResponderEliminar