domingo, 21 de março de 2010

Contar mais ou menos... Sim é possível.


Mãe:olha para ti todo a tremer. São elas que te fazem isso.
Eu:Não, sao eles...
M:Chó! Andas me a enganar...
E:Olha ja te estou a avisar, depois não te espantes.
M:(Something)
E: Olha não deixava de ser teu filho...
M:Deixavas sim eu não ando a criar nha nhas...
E:So por serem gays passam a ser nha nhas?
M:... (something, something I don't remember)

Foi mais ou menos isto que se passou à 25 minutos atrás.... Dou me super bem com a minha mãe... Se isto me magoou?... Não... Porque foi tudo dito em tom de brincadeira e já não é a primeira vez que estou a preparar terreno(?)...
Sei que a minha mãe não entende, pensa que eu estava só a brincar, até porque me vÊ quase sempre com raparigas e pensa que é por elas que me interesso, tenho a certeza que nunca pensou que eu seja gay(os pais nunca pensam nessas coisas para os filhos não é?) e acho que julga que é uma questão de escolha... É católica, nasceu e vive numa aldeia, (apesar de eu a considerar uma mulher super para a fente) não é abertamente Homofóbica mas é um pouco preconceitoosa... O meu irmão trabalha com um homossexual assumido, ela sabe e referiu-se ao companheiro como "amigo"... Mas não com desdêm... É como se não equacionasse essa hipótese... Só vou querer contar quando tiver saído da universidade e depois de ter alguma independência (fazo bem?)... Sei que quando isso acontecer ela vai entrar em depressão... Quanto ao meu pai não sei não o conheço bem, ele é emigrante e estou pouco tempo com ele... Mas acho que me põe fora de casa (só isso na melhor das hipóteses)...
Só espero que depois com o tempo eles aceitem não quero cortar relações com a minha família nem provocar-lhes qualquer tipo de tristeza mas é inevitável... (I need a fucking hug, e não sou nada dessas coisas)

Sem comentários:

Enviar um comentário