sábado, 14 de fevereiro de 2015

Pergunta do Ti'Ricardo - Especial, Dia dos Namorados

Afinal, o que é o Amor?
Nah! Até parece que nunca leram este blog. Acharam mesmo que a pergunta do Ti'Ricardo para o Dia dos Namorados seria mesmo "O que é o Amor?". A pergunta pertinente para este dia tem, como não poderia deixar de ser, tudo a ver com Puns. Imaginemos a seguinte situação problema:
Rapaz conhece rapariga, rapaz conhece rapaz ou rapariga conhece rapariga (sim, também acontece, relações sem, pelo menos, um rapaz. Pasmem-se!). Uma espécie de "quem tem cu tem medo", no sentido desta temática ser transversal a todos os seres humanos. No fundo, quem tem cu dá puns. Não se iludam! Então, pessoa conhece pessoa, dão-se uns encontros - nos primeiros dois um cafézito simpático, acompanhado de muita conversa, no terceiro jantar e cinema, com direito a um beijinho no fim à porta de casa, e a partir daí já cada um faz o que quer. Imaginemos que ao quarto encontro as coisas continuam a correr bem (*Pfff! Dou-lhes um mês...*) e os encontros dão lugar a dormidas, ora na casa de um, ora na casa de outro, e as dormidas começam a ser mais recorrentes. Há o acordar ao lado do outro, o voltar a estar com o outro nessa noite, o voltar a acordar, e por aí em diante. Até ao momento em que já vivem praticamente juntos - sem viverem mesmo juntos, não precisam de uma gaveta na casa do outro. Mas e os puns? Essa temática sensível. Como, quando, é que se dão puns? Sim, porque ninguém quer desmistificar o mito da perfeição. E a malta tem de ir aguentando, apertando o esfíncter e guardando. 
Numa relação rapaz rapaz esta temática é ainda mais sensível, afinal é fonte de prazer, excitação e especulação sexual e ninguém quer deixar de ver esse ponto de prazer (perceberam a ligação geométrica?) conectado com a libertação de gases malcheirosos. Se bem que, por vezes, o acto da libertação gasosa pode ser aprazível, especialmente depois de aguentarem dias a fio. Sabe Deus que nos festivais já passei e penei por muito e que o momento da libertação acumulada pode ser gratificante. Se há pessoa que, de manhã, na sua cama, por vezes liberta gases somos todos nós, não apenas eu, quero acreditar. (E sim, há dias em que tenho medo de acender a luz do telemóvel debaixo dos lençóis, com medo de ir parar ao meio da rua depois de uma explosão de gás. Tipo Sónia Brasão [Desculpem a piada óbvia, mas não podia deixar de ser feita]). Continuando, ninguém quer relembrar o outro a ligação óbvia para a libertação de gases e de cocó que é feita por uma das partes de obtenção de prazer libidinoso e sexual, em particular os gays deste mundo. (Se bem que existem pessoas muito estranhas com fascínios escatológicos a roçar o preocupante, mas não vou por aí).
Enfim, já não reflicto sobre o tema: deverão os casais dar puns à La Gardere (que é como quem diz: à vontade, à vontadinha) à frente do outro? Não, acho que não devem. Tentem manter a chama do mito e da paixão acesa (sem recurso a gases). No fundo, como devem os solteiros, que estão a tentar deixar de sê-lo, manter o mito? Até quando? Como conseguir que a barriga não pareça um balão inchado prestes a libertar o ar acumulado e que quando isso acontecer à frente do outro não o sopre para bem longe? Sim, porque vai acabar por acontecer e depois a malta não sabe se deve dar um ar cómico à coisa  ou fazer de conta que não é nada consigo.

P.S. Bom jantar do Dia dos Namorados e cuidado com o que comem, dentadas pequenas e moderadas para que não engulam muito ar, e bebem, não vá ter bolhinhas.  

18 comentários:

  1. Vantagens de relações longas, já não vale a penar fazer de conta.
    Sabemos ambos que o outro dá os seus puns e o melhor levar a coisa na brincadeira.
    Já dei por mim a pensar que se isto acabasse e tivesse que arranjar outro não podia dar puns assim...

    ResponderEliminar
  2. Aproveitando o teor silly deste post (xD), vou tentar a minha sorte e fazer uma pergunta bem parva. Não é uma brincadeira, é mesmo uma dúvida séria de quem é completamente inexperiente. Ei-la. Antes de 2 gays terem relações, fazem um enema para limpar o cu e poderem estar assim mais à vontade quando a praticar cenas como rimming? Na minha cabeça é o higiénico e um equivalente a usar preservativo para penetração, mas soa tão pouco prático. Estou para iniciar actividade sexual com o rapaz de quem gosto e tenho-me questionado sobre isto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou expert mas acho que há dois níveis de higiene.
      Se estamos a falar de rimming, não precisa enema nenhum, apenas precisa estar lavadinho.
      Para a penetração podes ou não fazer enema. Acredito que a maior parte das pessoas não o faça.
      É verdade que o risco de haver cheiro diminui e isso é uma vantagem mas o facto de não se fazer não significa que haja cheiro ou sujidade. Depende do cocó de cada um, lol.
      Uma maneira prática de limpar por dentro é usando o chuveiro. Desenrosca o chuveiro e usa a mangueirinha com água morna. Não enfies a "bicha" do chuveiro lá para dentro!!! Apenas a água vai entrar e sair limpando a parte inicial.
      Como te disse não sou expert mas é a minha experiência.

      Ricardo, depois deste nível de detalhe, acho que o teu blog vai ser bloqueado :P

      Eliminar
    2. Bem Anónimo a primeira coisa é: sim, a higiene é importante. Segundo, bem, a malta sabe ao que vai. Ou pelo menos deveria saber... Dito isto, é claro que um enema será mais higiénico e uma salvaguarda, mas certamente ninguém fará sempre um quando quer ter relações sexuais. O Leonel disse tudo de uma forma clara. Acho que se te sentires mais confortável e confiante com um deves fazê-lo, estarás mais à vontade. Mas não te deves preocupar em fazer sempre um, isto claro, se estiveres limpinho.

      Eliminar
    3. O momento em que imaginar sexo deixou de ser simplesmente fantástico para passar a ser um pequeno incómodo...

      Eliminar
    4. Porque agora antes de sair de casa vou ter de ter uma série de cuidados higiénicos a pensar no que poderá vir a acontecer... E nem me vou sentir à vontade caso precise de usar um quarto de banho.

      Eliminar
    5. Anónimo, já nem sei se falas a sério...
      Se queres "iniciar actividade sexual com o rapaz de quem gostas", deixa de pensar nessas cenas.
      Se existe atracão e vontade, deixa acontecer. Vai ser maravilhoso!

      Eliminar
    6. Falo a sério! Já iniciei actividade sexual com ele, e de cada vez que saio de casa e sei que vou passar em casa dele antes do trabalho lá vou para o duche para fazer uma espécie de clister por não saber se vai rolar ou não...

      Eliminar
    7. Mas oh moço, desculpa lá, ninguém te disse isso. Se te constringe e constrange não faz sentido... Acho que nos interpretaste mal...

      Eliminar
  3. é verdade! as bufas têm que sair! no meu caso com o artista, é bufas a toda a hora, eu passo a vida a chama-lo de peidolas e ele faz o mesmo quando sou eu a dar um. :)

    ResponderEliminar
  4. A outra escrever um livro sobre puns, tu um post. Isto vai. lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava para te perguntar quem é que escreveu um livro sobre puns, mas depois lembrei-me.
      Vai onde Namorado?

      Eliminar
  5. Olha, o meu ex era um descontraído, por isso era todo o dia a toda a hora, sempre que a vontade apertava. E não havia constragimentos,

    O meu rapaz é muito mais reservado neste aspeto. As vezes lá foge um ou outro, mas pronto, há um certo respeito ainda. LOL

    Adorei teres dedicado o teu dia nos namorados a este tema. Subiste na minha consideração :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;)
      Havia de dedicar a que tema Horatius?
      Opá, ate parece que estou mal cotado na tua consideração

      Eliminar