terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Vamos lá ver

O que é que têm de preconceito contra o conceito de "Príncipe Encantado"? 
Será um príncipe porque é um rapaz e será o primeiro em (e com) vários méritos, claro! 
Será encantado porque existirá muito encantamento, seja ele activo ou passivo (Ele encantar-me-á, eu serei encantado por ele; eu encanta-lo-ei, ele encantar-me-á), e ficaremos os dois enlevados.
A paixão não existe sem encantamento. E o que será o amor (isto dito por alguém que nunca o viveu, nem poderia ter vivido, e que, portanto, não sabe o que é) se não uma paixão permanente (eterna)? 
Quando um amigo me perguntou se continuava a procurar o príncipe encantado, aquilo que eu automaticamente li foi se "já tinha desistido de o encontrar". Ao que eu disse que não, apesar de não sabermos o dia de amanhã. Mas depois pensei, "Realmente Ricardo. És toda burra que nem sabes ler o que te perguntam, tens a mania que és esperta!" (Como é óbvio, não pensei isto, mas tem muito mais piada descrever assim). Quando atentei realmente nas palavras pensei: "Eu não procuro". Procurar implica uma acção activa da minha parte para o que pretendo e tal não acontece - quando saio à noite não é com o intuito de arranjar gajos, já apaguei as contas no manhunt e gaydar (realizei a minha observação e é aquilo que se costuma dizer de "muita parra e pouca uva", ainda que tenham surgido dois amigos por esse meio). Se calhar está na altura de me tornar bicha activa (é só a mim que esta ideia me faz lembrar iogurtes? (E a publicidade que se podia fazer daqui! Tome bicha activa, vai ver que ficará com rápida vontade de ir ao wc... Dizem...)). Agora, como é que se procura mesmo? Ou, como é que eles aparecem? E se o tiver serei eu uma princesa? Não! Porque já sou, a primeira e mais distinta e excelente pessoa de uma série ou espécie. Bem, na verdade sou o segundo filho, mas não importa nada.
Como é que perceberam que aquelas eram as minhas pernas? Está assim uma foto tão amadora? Serão assim umas pernas tão não de modelo que percebemos automaticamente as diferenças relativamente às fotos que por aqui costumo colocar?
Vê-se logo que são todas bichas, a malta faz um post todo intelectual acerca do referendo e quase ninguém comenta (poucos, mas óptimos), mostra um bocado das pernas e é vê-las todas a comentar. Nem quero pensar o que seria se tenho mostrado os tornozelos...


P.S. Sim, tenho outro trabalho para fazer...

17 comentários:

  1. respondi-te agora ao comentário da outra vez, vai lá ver ;)

    ResponderEliminar
  2. A-D-O-R-E-I este texto. Genial. (lololololol).

    Sobre a questão da procura... bom isso não se procura, acontece. Mas, quanto mais desespero, mais procuras estúpidas no manhunt e afins mais longe ficas de esbarrar no teu príncipe encantado. O mais curioso é que as pessoas associam esse príncipe em alguém que vai aparecer, e muitas das vezes essa pessoa já apareceu (basta olhar para o lado). Acho que o pessoal gosta muito da ideia do "encantado" porque pensa "estou com este até arranjar melhor", porque fica bem dizer que se namora, porque é giro e porque dá um ar menos de puta. A verdade, é que muitos relacionamentos são isso mesmo. Relacionamentos baseados numa relação de interesse apenas do estado civil. Ou então porque se tem medo da solidão.

    E finalmente, para não me tornar mais chato, sobre o amor. Bom, para mim o amor é dares a tua vida pelo outro sem questionares se o deves fazer. Sem te preocupares com as consequências, mas sim, com o bem estar da outra pessoa. Isto escrito de grosso modo, porque o assunto dava pano para mangas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha Obrigado :)

      Eu também acho, acontece. Mas acontece só por alma e graça do espírito santo? A sério que as pessoas estão em relacionamentos devido a essas razões que evocas? Há coisas que não são para entender...

      Claro que é isso o amor, mas também não é a paixão? Quando estás verdadeiramente apaixonado penso que sentes o mesmo...

      Eliminar
    2. Pronto, fica a aguardar então.

      (Também queres uma fatia já que vieste ao cheiro? :P)

      Eliminar
  3. Já alguma vez te disseram que tens um óptimo sentido de humor? Lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hmmm, acho que não. Mas já me disseram que era muito divertido e engraçado :D

      Eliminar
  4. Li e reli isto e fiquei baralhado com o propósito, se é uma crítica às pessoas que criticam o conceito do Príncipe Encantado ou aos comentários que fazem versus popularidade dos textos. Em relação à segunda, isto da blogaria é um bocado assim, há textos que gostamos muito e ninguém liga há outros com banalidades que acham muita piada, é um claro caso de c'est la vie.

    O conceito do príncipe encantado não tenho nada contra, é encantado porque o encantamos, porque há encanto, a mim só me incomoda quando andam em busca da alma gémea, agora o príncipe encantado não me chateia minimamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O propósito não é nenhum. No fundo, podiam ser três ou quatro posts que foram compilados num, são só pensamentos.... Queria apenas escrever algo engraçado... C'est la vie.

      Hahaha mas buscar a alma gémea também é bonito xD Chamem-lhe o que quiserem e busquem o que quiserem desde que sejam felizes e não façam mal a alguém

      Eliminar
    2. Acho o conceito da alma gémea perigoso.

      Eliminar
    3. Porquê?

      (BTW, para ti que gostas de bolos, tenho neste momento um bolo de laranja no forno, vai uma fatia?)

      Eliminar
  5. O teu príncipe será encantado porque acima de tudo te amará, assim com tu também o amarás a ele! Quanto à procura, e como sou um romântico e ainda acredito no amor (que lamechas que isto soa, não é?), acredito que ele irá aparecer quando menos esperas, numa ocasião em que estarás completamente desarmado e te deixaras levar pelo dito encantamento!

    Devo confessar que a personagem do vídeo mas faz uma confusão terrível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, isso claro.
      Sim é muito provável que seja assim como escreves. O problema é se não volto a ficar desarmado. Olha, vamos indo e vamos vendo :)

      É natural, é uma lésbica, os gays não podem perceber as lésbicas... :P

      Eliminar
  6. Olha se os meus alunos conjugassem os verbos como tu conjugaste nas primeiras linhas já seriam verdadeiros príncipes e princesas. Mas só isso, porque encantados não existem :)

    Concordo com quem disse que há encanto quando conheces um "príncipe" e tudo o que envolve esse processo de conhecimento e aproximação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahaha coitadinhos, serão encantados e encantadas para alguém. Nem que seja para os pais...

      E depois já não há encanto?

      Eliminar