quarta-feira, 21 de março de 2012

Mas que elas as há, há!

Lá fomos nós (eu e duas amigas), lindos e maravilhosos para os jardins da Gulbenkian, durante a nossa hora de almoço. Quando, a meio da conversa e da galhofada em que eu digo que "Vou é ficar para tio" (a conversa já estava nos relacionamentos e sexo) e uma delas, que supostamente sabe ler mãos, pega na minha mão, torce-me a mão, e diz, "Não vais nada, vais ter alguém na tua vida amorosa que te acompanhará" (...) "Tiveste dois relacionamentos, um deles mais comprido que o outro." Após esta afirmação eu só consegui ficar de boca aberta, nenhuma delas sabia que eu já tive dois relacionamentos e muito menos o tempo de duração, que foi realmente diferente, e ela lá continua, "Vejo aqui um terceiro que será ainda maior..." Ao que eu pergunto "E está para demorar? É que com isto da Primavera as hormonas andam aos saltos..." (Aliás queria, e quero, fazer um post sobre isto aqui no blog, mas fica para a próxima vez, a ver se não me esquece...) Ao que ela me disse que... "Sim"... (Baaahhhh) Mas também lhe disse, "Até lá armo-me em p*ta"... Humpf!
E pronto foi um resto de conversa sobre mãos (e sexo) até à aula seguinte...
Isto há com cada uma... É como as bruxas, eu não acredito que elas existem. Mas...


4 comentários:

  1. Eu também não acredito nessas cenas, mas uma vez fizeram-me um mapa astral e acertaram em tudo. Nomeadamente perguntaram-me se eu estava a viver um grande amor ao que eu respondi que não. Disseram-me que então estava mesmo para acontecer e passados uns dias conheci o R. que de facto é o grande amor da minha vida. Coincidência? Não sei mas prefiro pensar que sim...

    ResponderEliminar
  2. Oh que giro ^^

    Eu estou como tu, não acredito, mas há com cada coincidência...

    ResponderEliminar
  3. Eu também sou muito céptico com essas coisas. Acho sinceramente que dizem as coisas que nós queremos ouvir. Mas afinal a parte mais importante... vais mesmo ter filhos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha não lhe perguntei...
      Mas eu acho que já tinha dito que filhos só adoptados e mesmo assim... É que corro o risco de a criança me sair psicopata e andar a matar por aí gente e eu não quero essa responsabilidade...

      Eliminar